«

»

Jun 06

Só conhece a confiança quem não procura segurança – Talita Rebello

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

salto-de-fe

Só conhece a confiança quem não procura segurança.

Confiança é mais que fé. É saber que, sem saber como.

Nada está sob controle. Nenhum plano. Nenhum relacionamento. Nenhum trabalho.

Mas ainda assim passamos a vida lutando contra a inconstância. Não aceitamos a morte, não aprendemos com o sofrimento, não nos entregamos aos relacionamentos.

Entramos em um jogo que nunca começamos a jogar, porque temos medo que ele termine.

Queremos garantias.

Queremos alianças, papéis, filhos, bens. Tudo bem amarradinho, para que não seja fácil desfazer. Mas esquecemos que o maior motivo para ficar junto é viver um relacionamento que extraia o melhor de nós. Um relacionamento que nos faça generosos, alegres, sonhadores, desejosos. Pode ser que ele dure dois meses, pode ser que dure cinquenta anos. Querer estar é um presente, dever estar é um castigo.

Queremos uma velhice segura. Para isso colocamos o nosso foco no dinheiro que precisamos guardar. Trabalhamos duro e pagamos uma ou duas previdências privadas. Mas esquecemos que o que nos garante uma linda velhice é a qualidade da vida que levamos. A forma com que nos relacionamos com o nosso corpo, com o nosso coração, com o nosso espírito. Somos nós quem escolhemos as sementes, plantamos e cultivamos o que pretendemos colher na velhice… e não pode ser só a aposentadoria. Eu, particularmente, quero colher todos os olhares de cumplicidade que dei, todas as flores que ofereci mentalmente às pessoas, todas as mãos que estendi em generosidade, todas as palavras que escrevi e que foram capazes de acalentar um coração.

Precisamos começar a jogar!

Precisamos compreender a brincadeira a divina da qual fazemos parte. Uma linda dança de peças – certos de que a única peça que podemos mover é a nossa! Mas que cada pequeno movimento nosso faz com que todas as outras peças à nossa volta se movam.

Conheça a sua peça. Reconheça o espaço em que ela se move. Identifique os movimentos repetitivos que ela faz e compreenda por que ela continua voltando para o mesmo ponto, para a mesma tarefa. Por que ela não consegue passar para a próxima casa? Qual é o aprendizado que ainda não foi absorvido?

Perceba que todas as peças, sem exceção, dançam no mesmo tabuleiro e fazem parte do mesmo jogo. Muitas delas estão aqui a convite, foi você quem as chamou para dançar.

Que tal começar aquela dança que só você sabe?

Que tal confiar – de fato – na inteligência suprema que acompanha todos os seus movimentos e que torce profundamente para que você se perceba como senhor das suas experiências. Para que você, finalmente, consiga mover a sua peça com graça e leveza, deslizando pelo tabuleiro, em vez de enroscar a cada passo, em vez de se preocupar com o movimento do outro, em vez de tentar controlar os passos malucos do seu companheiro mais próximo.

Não se preocupe, todo mundo dança esquisito quando ninguém está olhando!

Lembre-se, é sempre o mais corajoso quem abre a pista de dança para os demais. Que tal puxar a próxima dança?

Mova-se!

Talita Rebello

Fonte: https://www.facebook.com/talita.rebello

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×