«

»

Set 02

Superando julgamentos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

prece

Ontem sem querer eu acabei ignorando uma solicitação de amizade que veio junto com uma mensagem no inbox do Facebook. Alguém com o nome Cícero me fez um questionamento. Não me lembro exatamente o que ele contestou, mas falava sobre eu não ser vegana, sobre ter asas e viver presa e me pedia para refletir sobre não viver de acordo com aquilo que prego.

Num primeiro momento pensei em não responder, daí vieram meus egos reagindo à provocação e por ultimo a verdadeira resposta, que estou dando aqui publicamente porque depois de pensar um pouquinho acho que é pertinente, pois muitos são cobrados para ter uma determinada postura para ter crédito entre os espiritualistas, assim como em outras religiões dogmáticas.

Quem me conhece sabe que eu já me cobrei muito e demorei um bocado de tempo para assumir o dom da canalização justamente por não me achar digna. Eu sempre questionei a espiritualidade sobre isso. “Com tanta gente melhor preparada, porque logo eu, que como carne, não frequento nenhum grupo, sou fumante, tenho um monte de fraquezas e defeitos. Por que eu?

Com o tempo eu fui entendendo, com a ajuda de Mestre Hilárion, que somos feitos de “cascas de cebola”. É preciso que elas sequem e caiam naturalmente. Além disso, eu fui tendo uma outra compreensão sobre a espiritualidade, não apenas através das mensagens que recebo, mas lendo atentamente outros canais e percebendo que os mestres não julgam nada do que fazemos, mas nos incentivam a Ser a nossa essência, o que é natural em nós.

Para muitos o ser espiritual ainda vem carregados de “podes e não podes”. É uma escolinha de regras, de julgamentos, de pregações. Eu não vejo mais a espiritualidade desta maneira. Aprendi a não me julgar e como consequência não julgo ninguém.

Acredito que tudo é uma questão de escolha e de tempo para a nossa verdadeira purificação, que não está no corpo físico, mas no coração. Além disso, querido Cícero, ainda sou uma aprendiz, assim como a maioria de nós.

Estou tão longe hoje da iluminação quanto estava no dia que nasci, porque já nascemos espirituais. O que as mensagens nos ensinam é que não é preciso acrescentar nada. Ao contrário, precisamos liberar a bagagem de crenças e dogmas para nos tornarmos tão puros como as crianças que somos em nossa essência.

Estou escrevendo isso, porque ainda estou superando a minha fase de cobrança interna, portanto a externa ainda faz diferença. E acredito que muitos que leem as mensagens que os mestres transmitem aos seus canais passam por cobranças semelhantes.

Na minha parca experiência eu descobri e isso pra mim é uma verdade hoje, pode ser que amanhã mude, que a nossa conexão com os seres de luz do outro lado do véu não tem a ver com o que fazemos, mas com o que somos em nosso coração.

E, querido, uma coisa eu posso afirmar com toda segurança deste mundo. Não importa o que eu faça ou o que eu diga, eu sou luz e sou amor mesmo antes desta e de todas as vidas em que estive nesta escola da alma. E ainda tenho muita casca de cebola para deixar cair, isso não nego.

Só sei que tenho um dom, assim como cada um que lê as mensagens que recebo tem os seus também e ninguém é julgado por fazer isso ou aquilo, mas somos todos incentivados a melhorar sempre e cada um deve ser respeitado no seu tempo e na sua individualidade.

Sou sim, comedora de carne entre tantos outros “defeitos (?)” que podem imputar a mim, mas eu recebi um dom e não o renego. Se houvessem pré-requisitos garanto a vocês que eu seria a última pessoa na lista para canalizar mensagens.

Mas se os mestres me escolheram eles devem saber o que estão fazendo. E quero deixar claro que eu sou muito feliz por isso. Amo poder contribuir com a divulgação das mensagens do despertar. Amo saber que sou tão amada por eles, por ser aceita como eu sou e por poder compartilhar esse amor com todos vocês.

Por isso eu digo: sejam as suas essências, permitam que as “cascas de cebola” caiam no tempo certo. Não se cobrem, não se julguem nem se desmereçam. Cada um de nós é amado exatamente do jeito que é.

Cuidem sim, dos seus vasos físicos e façam tudo o que seu coração pedir. Porque é isso que estou aprendendo a fazer também. E só um último detalhe. Cícero, nas mensagens que publico, as palavras não são minhas. São dos mestres. E eu nunca preguei nada. Não sou a autora das cartas, sou apenas a mensageira, com muita honra e muito amor.

Laura Vendas
31/08/2014

Deixar uma resposta

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×